<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37878389\x26blogName\x3dElevador+da+Bica\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/\x26vt\x3d8544793576954813379', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
elevador da bica

Elevador da boca

Esta ideia de os restaurantes aproveitarem o facto de terem ganho fama para expandirem actividades a novas localizações é capaz de não ser boa política. O "Nobre", outrora um clássico de Lisboa, começou a estampar-se ao comprido por alturas na Expo 98. O "Peralta", que mais tarde abriu actividades num hotel da capital para explorar os créditos conquistados em Alfarim, também não correu bem.

A lista não acaba aqui, porque se pode acrescentar o "Aqui Há Peixe", muito badalado na zona da Comporta e que, faz agora um ano, se instalou na Rua da Trindade, bem no coração turístico lisboeta. Acontece que a comida que serve, não sendo má, também não deslumbra. Pelo menos, é o que sucede com as anchovas, enterradas em sal e cebola suficientes para esconder tudo o resto, ou com o esparguete com carabineiros, dose com quatro pequenos exemplares plantados no topo de um montão de massa e molhanga. Tudo demasiado banal.

Se o diabo ronda os pratos principais, quando se chega aos detalhes as coisas não ficam melhores. O serviço, que costuma matar com frequência projectos de grandes pretensões, é tão cuidado que, numa mesa ocupada por duas pessoas, serve a água a uma mas ignora a outra e repete a dose com o vinho, que nem sequer é dado a provar. Para a fama, as expectativas e os preços praticados, ali há peixe mas aqui há gato.

Etiquetas: , ,

“Elevador da boca”