<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37878389\x26blogName\x3dElevador+da+Bica\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/\x26vt\x3d8544793576954813379', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
elevador da bica

O Bloco espectral: manual de patifaria com donativos


Os partidos aprovaram por unanimidade. Não foi o Bloco Central. Foi todo o espectro partidário. É coisa para desconfiar. Dinheirinho toca a todos. Segundo a lei anterior, os partidos só podiam receber 22.500 euros de contribuições em dinheiro vivo. A partir de ontem, o limite passa a ser de 1,2 milhões de euros, 55 vezes mais. A lei é feita para acomodar os protestos do PCP, que se sentia especialmente visado por a lei anterior não lhe permitir encaixar legalmente as receitas da Festa do Avante!. A primeira premissa é boa: a lei deve ser geral, mas acolhe um interesse particular. Um aplauso!

Tendo em conta os factos da vida real, dinheiro vivo é coisa perigosa! Quando Luís Filipe Menezes quis que as quotas do PSD voltassem a ser pagas como cada um entendia, ai jesus!, disse Rui Rio, que vinha aí a máfia e aquilo ia ser um rol de lavagem de dinheiro sujo. E Rio tinha razão.

Vamos então a um exemplo concreto. Um empreiteiro quer passar umas massas ao partido e não pode, porque a lei não deixa. Agora, com limites tão altos, é mais fácil acomodar essas generosas vontades. Basta organizar um jantar lá na terra, meter o dinheiro vivo num saco e distribuir donativos pelos Jacinto Leite Capelo Rego desta vida e lá vai a massa directa para a sede. Mais fácil ainda será meter dinheiro no partido, vindo sabe-se lá de onde, se o jantar-comício se realizar no estrangeiro, junto dos emigrantes, segundo o mesmo tipo de processo.

Sendo os partidos incumpridores crónicos das leis que produzem nesta matéria, alguém acha que isto é para levar a sério?
ADENDA: António José Seguro, do PS, votou isolado contra o projecto de lei. Haja esperança.

Etiquetas: , ,

“O Bloco espectral: manual de patifaria com donativos”

  1. Anonymous Anónimo disse:

    Sim, e entretanto quem se lixava era o PCP que não recebe as tais malas do dinheiro vindas dos empreiteiros (e que devem ter continuado de qualquer forma a chegar a outros) mas não podia receber o dinheiro das sandes de coirato que eu consumi na Festa do Avante