<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37878389\x26blogName\x3dElevador+da+Bica\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/\x26vt\x3d8544793576954813379', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
elevador da bica

Elevador da Boca - Gemelli

Ontem, numa pequena celebração familiar, dei por mim sentado à mesa do reputado Gemelli, em Lisboa. No Gemelli a qualidade do que se serve quase salva a petulância postiça, a falta de atenção e a falta de naturalidade com que se serve - quase.

Na melhor linguagem Zagat: entre entradas e sobremesas de valor (mas não deslumbrantes), acabei por gostar muito do casamento improvável entre baunilha e salmão fumado no prato de massa. E o risotto estava mesmo muito bom. Tudo foi regado com um bom tinto, a preço razoável, recomendado pelo anfitrião. E tudo estaria muito bem se para aproveitar uma boa refeição não precisássemos (aquelas quatro pessoas) de abrir a alma e baixar a guarda - de saber que a comida é boa, que a companhia é boa e que estão a tratar de nós com atenção discreta e eficaz. No Gemelli o anfitrião é um bom anfitrião, mas o resto do serviço é uma lástima: um replicant que escapou às balas do Harrison Ford e acabou ali a recitar pratos que obviamente não conhece, com voz sumida e maquinal, olhos postos num horizonte distante; e o pedante médio, de cara fechada e insuportavelmente condescendente, nada atento aos desejos dos clientes que lhe pagam o salário. Em resumo: no Gemelli come-se muito bem, a preços altos (45 euros por pessoa foi o resultado da experiência), num ambiente gélido (para o qual também contribui a decoração estilo contemporâneo-impessoal). Cada vez tenho menos paciência para estas merdas. A não repetir.

Etiquetas:

“Elevador da Boca - Gemelli”