<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37878389\x26blogName\x3dElevador+da+Bica\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/\x26vt\x3d8544793576954813379', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
elevador da bica

O milagre até Fevereiro

Uma das ficções sobre a actual situação financeira de Portugal é acreditar que o governo pode dar sinais aos mercados até Fevereiro ou Março de que irá cumprir a meta de défice orçamental de 4,6% - e que os mercados irão rejubilar de alívio perante esses sinais.
É ficção porque até pelo menos Abril/Maio a execução orçamental pouco diz sobre o andamento das finanças públicas. Este ano haverá um efeito imediato na despesa visível no boletim a publicar em Fevereiro (com os cortes nos salários, por exemplo), mas é cedo para perceber coisas como a) a evolução da receita fiscal (fora do controlo do governo e origem do descalabro de 2009) e b) a capacidade de execução orçamental por parte deste governo, que falhou os últimos três exercícios.
Curiosamente, as pessoas que defendem que estes sinais serão decisivos são quase sempre as mesmas que chamam a atenção para o facto de esta crise ser do euro e não um exclusivo de Portugal. Quer isto dizer que acreditam que informação prematura e pouco fiável sobre a execução orçamental portuguesa - falhada com estrondo em dois anos seguidos - pode tirar o país do meio de um furacão que já se alastra ao coração da zona euro. A isto chama-se fé.

“O milagre até Fevereiro”