<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37878389\x26blogName\x3dElevador+da+Bica\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/\x26vt\x3d8544793576954813379', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
elevador da bica

OE e FMI: era uma vez no tempo dos estadistas ...

... em que havia líderes políticos em Portugal que se entendiam em nome dos superiores interesses da nação. É engraçado ver os jornais de 1983 e ler Silva Lopes chamar irresponsável a João Salgueiro, que tinha sido o ministro das Finanças do Governo AD de Balsemão.


...Era preciso aplicar medidas tão duras, tão duras, impostas de fora, que só um acordo entre os dois maiores partidos políticos tornaria possível a sua viabilização. Vinha aí o FMI, e com ele perdas no poder de compra superiores a 5% para toda a gente, e sacrifícios dramáticos.


As pessoas assustaram-se e com razão. Os portugueses tinham medo de ter fome e de não haver bens nas mercearias. Houve fome. A economia contraiu-se 1% em 1984. Mas em 1987 já crescia 7%.


Hoje em Portugal só não há mais fome por causa das instituições sociais. Mas com esta crise de irresponsabilidade política corremos muitos riscos. Um deles é voltarmos a ter um drama social grave. Se o FMI regressar com as suas fórmulas cegas, o que virá aí?

Não temos gente à altura.

“OE e FMI: era uma vez no tempo dos estadistas ...”