<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37878389\x26blogName\x3dElevador+da+Bica\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/\x26vt\x3d8544793576954813379', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
elevador da bica

Salário mínimo e as chafaricas caducas

Em (raro) desacordo com o mestre guarda-freio na questão do aumento do salário mínimo para 475 euros. É verdade que os salários na função pública e no privado devem ter aumentos muito moderados em 2010. E é também verdade que a questão dos aumentos salariais não pode ser vista de forma isolada: o trabalho é mais um custo para as empresas, a somar a outras condicionantes como os juros e o acesso ao financiamento (que não está fácil), a factura energética, etc. Contudo, no caso do salário mínimo (que abrange cerca de 365 mil pessoas) há um acordo político e social que deve ser honrado: chegar aos 500 euros até 2011. O salto para 475 euros é um passo intermédio para chegar a essa meta - se não, como dizem e bem os sindicatos, nunca se chegaria aos 500 euros em 2011.

Do ponto de vista económico o impacto das subidas do salário mínimo no emprego continua a ser daquelas matérias escorregadias. Mas, se há um consenso, esse parece apontar para que o impacto nas falências e no mercado de trabalho seja muito pequeno. Análises económicas à parte, sobra isto: uma empresa sedeada no espaço da zona euro que não sobreviva porque o salário mínimo cresce 25 euros por ano é uma chafarica no fio da navalha que compete exclusivamente pelo preço. Não tem grande razão para existir. A subida do salário mínimo - socialmente justa - é apenas um sopro de vento ligeiro que só acelera a queda de muita folha já caduca.

“Salário mínimo e as chafaricas caducas”

  1. Blogger Vìtor Matos disse:

    Aceito o desacordo do meu caro amigo e estou disposto a rever a minha posição perante essas sábias palavras.