<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37878389\x26blogName\x3dElevador+da+Bica\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/\x26vt\x3d8544793576954813379', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
elevador da bica

Da série "De resto tudo bem" – 5

O défice orçamental rondará 8% do PIB este ano, a dívida pública total (directa e indirecta) aproxima-se de 120% do PIB, a economia deverá crescer abaixo de 1,5% nos próximos cinco anos. Perante isto, o governo garante que é possível manter o compromisso com os portugueses (não subir os impostos) e com Bruxelas (trazer o défice para 3% em 2013). Perante isto, a oposição mostra alarme e garante que não deixará subir os impostos. Entretanto, só durante o dia de ontem, o PCP pediu o fim do pagamento de propinas, o BE exigiu reforma por inteiro para quem desconta 40 anos e o PSD gritou por mais dinheiro para segurança pública em 2010.

No fundo, governo e oposição até estão a fazer o que o governador do Banco de Portugal, a Comissão Europeia, as agências de rating, os economistas e toda a gente que paga impostos lhes pede: os políticos portugueses estão mesmo a discutir medidas do lado da despesa. Agora só falta que alguém lhes explique que a ideia destas medidas é reduzir a despesa.

De resto tudo bem.

Etiquetas:

“Da série "De resto tudo bem" – 5”