<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37878389\x26blogName\x3dElevador+da+Bica\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/\x26vt\x3d8544793576954813379', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
elevador da bica

Notável

A entrevista de Eduardo Ferro Rodrigues ao "Expresso" é notável. Por dois motivos:

1. Após as próximas eleições legislativas, caso não haja maioria absoluta de um só partido, o ex-secretário-geral do PS acha que se os socialistas sairem vencedores devem tentar uma coligação com o PCP e o Bloco. Se não der, devem, então, fazer uma coligação com o PSD.

Pela mente de Ferro Rodrigues não passa a sombra de uma reflexão sobre as óbvias diferenças entre uma e outra solução, a começar pelos modelos de sociedade defendidos por PCP e BE, de um lado, e o PSD, pelo outro. Ficamos a saber que, para o antigo líder do PS, as convicções do partido são pequenos detalhes que devem ser subestimados em função daquilo que a conjuntura exigir para que o PS se mantenha no poder.

Nem se trata de engolir sapos, mas apenas de orientar as velas para onde o vento estiver a soprar. O PS deve actuar como um catavento, portanto.

2. Sobre os critérios que devem enquadrar o exercício do cargo de Presidente da República, Ferro Rodrigues tem, também, um pensamento muito claro. As relações pessoais devem sobrepor-se ao sentido de Estado.

O facto de Jorge Sampaio não ter dissolvido o Parlamento quando o antigo secretário-geral achava que o devia ter feito é suficiente para que a sua relação pessoal com o antigo Presidente se mantenha distanciada. E é por aqui que Ferro Rodrigues chega ao benefício da dúvida que concede a Cavaco Silva no que respeita à sua isenção perante Manuela Ferreira Leite, ao sugerir que o facto de manterem uma relação de amizade não prova nada.

Isto é, nada impede que o actual Presidente não possa vir a trair Manuela Ferreira Leite, violando um princípio de actuação baseado nas relações pessoais que, provavelmente, devia passar a figurar na Constituição numa próxima revisão da Lei Fundamental. Amigos, amigos, negócios políticos incluídos.

Etiquetas: , , ,

“Notável”