<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37878389\x26blogName\x3dElevador+da+Bica\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/\x26vt\x3d8544793576954813379', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
elevador da bica

Sobre a pressão alta dos clientes do BPP

Isto é que é pressionar o poder político. Parece-me claro que se alguns clientes mais activos do BPP - os mais desesperados, imagino - não tivessem ido para a rua fazer barulho a solução para os seus problemas seria adiada para as calendas gregas.

O BPP deveria cair, assumindo clientes, accionistas e Estado (na medida em que teria que garantir os depósitos) as suas devidas perdas. Os clientes poderiam, então, processar os reguladores (CMVM e Banco de Portugal) por incompetência grosseira. Os accionistas poderiam ir atrás da gestão do banco e dos auditores. O governo ganharia uma boa razão para acordar a regulação financeira portuguesa do seu soninho letárgico.

Contudo, depois de ter corrido a salvar o BPN - seguindo o argumento pouco sustentado do "risco sistémico" - Governo e Banco de Portugal deveriam pressionar e acelerar a resposta possível que prometeram para os problemas dos clientes do BPP. Desde Dezembro de 2008 que os clientes - que socialmente sofreram logo aquele estigma de terem as suas poupanças no "banco dos ricos" - já viram adiada por três vezes a possibilidade de poderem tocar em algum do seu dinheiro.

Do lado da "coisa pública" há que perceber a situação destas pessoas e trabalhar mais depressa. Do lado dos clientes há que entender que isto não é admissível e joga contra os seus objectivos.

“Sobre a pressão alta dos clientes do BPP”