<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d37878389\x26blogName\x3dElevador+da+Bica\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://elevadordabica.blogspot.com/\x26vt\x3d8544793576954813379', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
elevador da bica

Uma perguntinha...

Há uns 10 anos, acabávamos de lançar a Focus, ouvi o Ferreira Fernandes dirigir-se a uma estagiária que tinha falado ao telefone com uma fonte dizendo que precisava de fazer umas perguntinhas.

- Na nossa profissão não se fazem perguntinhas, fazem-se perguntas! - ensinou ele. Ela aprendeu e aprendemos nós todos.

Mas esta é mesmo uma perguntinha, de tão óbvia e pequenina. Só estranho que seja preciso fazê-la, que o PS e o ministro da Justiça não tenham percebido que devemos evitar a necessidade de fazer perguntinhas (porque são tão óbvias que existem antes de ser feitas) em vez de perguntas.

Ei-la: Se os colegas de Lopes da Mota, investigadores profissionais, concluíram pela existência de indícios de pressões aos magistrados do Freeport, e se o inquérito dá azo a um processo disciplinar, qual a idoneidade de Lopes da Mota para continuar como presidente do Eurojust, o organismo que coordena a relação entre os investigadores ingleses e portugueses no caso Freeport?

Etiquetas: ,

“Uma perguntinha...”